E-mail: Senha:
INPN - O portal das revistas ImplatNews e PerioNews
 
Compartilhe  Compartilhe Twitter Imprimir Indique a um amigo
Publicado em: 14/08/2012 19h58

Criador de biomaterial brasileiro celebra avanço da indústria nacional

Márcio Baltazar Conz, fundador da Osseocon e criador do Alobone, fala sobre seu trabalho de pesquisa na área de enxertos ósseos.

Foi em 2007 que o implantodontista Márcio Baltazar Conz decidiu enfrentar o estigma que pesa sobre a indústria nacional brasileira fundando sua própria empresa, a Osseocon. Sua experiência de oito anos pesquisando enxertos ósseos lhe possibilitou o lançamento no mercado do Alobone, um biomaterial que possui hidroxiapatita sintética, fabricado em grânulos porosos e densos de diversos tamanhos

Em reconhecimento ao seu trabalho, em 2009, a Osseocon foi uma das empresas vencedoras do Prime - Prêmio da Financiadora de Estudos e Pesquisas do Governo Federal (Finep), voltado para empresas que baseiam sua atuação em tecnologia e inovação.

Cinco anos depois da fundação de sua empresa, Conz celebra a oportunidade do brasileiro de reconhecer a importância da indústria nacional. "Hoje, não precisamos depender exclusivamente dos produtos importados ou rotular, afirmando que só estes possuem qualidade. Já podemos valorizar os materiais e pesquisadores nacionais", disse o criador do Alobone.

Veja a entrevista que Márcio Baltazar Conz concedeu à nossa equipe.

Como vê o atual crescimento da Osseocon? Era o que esperava?

Márcio Baltazar Conz - A preocupação incessante na realização de trabalhos científicos tem nos proporcionado inúmeras publicações em periódicos conceituados, refletindo de maneira significante o crescimento alcançado. Estamos conquistando profissionais que utilizam enxertos ósseos e que se preocupam em trabalhar com resultados regenerativos previsíveis. Os resultados clínicos e histomorfométricos do Alobone Poros têm proporcionado um crescimento consistente e seguro da empresa no mercado nacional.

Quais são as principais vantagens do Alobone?

Baltazar - Após oito anos de estudo das características de mais de 20 produtos comercializados no mercado nacional, tive a oportunidade de compreender o verdadeiro motivo dos diferentes resultados encontrados quando alternamos o biomaterial utilizado. Os resultados negativos dos procedimentos de regeneração óssea despertaram o interesse em estudar e desenvolver um enxerto ósseo sintético controlando as suas características físico-químicas. O principal diferencial tecnológico do enxerto ósseo Alobone é de ser um material sintético com as características físico-químicas (tamanho de grânulo, porosidades, cristalinidade e área de superfície) controladas e com resposta biológica diferenciada.

O custo benefício do Alobone vem quebrar paradigmas existentes no mercado brasileiro. Em uma dissertação de mestrado na Unigranrio, o Dr. Rafael Bassols realizou um estudo comparativo (duplo cego e randomizado) do Alobone Poros com um material importado, referenciado na literatura mundial de origem bovina, no qual os resultados não apresentaram diferença estatística na formação óssea em alvéolos de coelhos. Hoje, não precisamos depender exclusivamente dos produtos importados ou rotular, afirmando que só estes possuem qualidade. Já podemos valorizar os materiais e pesquisadores nacionais.

Como foi ganhar no projeto Prime?

Baltazar - O programa recebeu mais de três mil empresas inscritas em todo o Brasil. As empresas passaram por três etapas de um criterioso processo de seleção e foram escolhidos os projetos que obtiveram melhores notas, seguindo os critérios de grau de inovação, potencial de mercado, retorno econômico-financeiro, estratégia de marketing, qualidade da equipe técnica e dos empreendedores.

Para mim, este prêmio foi um reconhecimento do governo brasileiro à inovação e desenvolvimento de um biomaterial de enxerto ósseo nacional com pesquisa científica envolvida, e tão importante quanto ser reconhecida como empresa inovadora é ter as portas da Finep abertas para novos projetos.

Sobre o futuro, há algum projeto em vista?

Baltazar - O avanço tecnológico, o desenvolvimento da ciência dos biomateriais e o conhecimento de novas técnicas cirúrgicas têm proporcionado evidentes benefícios para a área da saúde, principalmente na Implantodontia. A empresa cultiva um plano de desenvolvimento de novos projetos, produtos e tecnologias, que atendam às demandas do mercado. O desenvolvimento do um bloco ósseo sintético, para aumento de espessura de rebordo, se encontra em testes clínicos após estudos promissores em animais. Acredito que este biomaterial poderá preencher uma lacuna existente para a regeneração de defeitos ósseos extensos na Implantodontia e na Ortopedia.



E-mail
Cadastre seu e-mail e receba nossas Newsletters